Máquinas e Motores-

Mike Owens

Em 4 de Setembro de 1922, em Blackpool, Inglaterra, dois jovens entusiastas de motocicletas, Willian Lyons e Willian Walmsley, fundaram a companhia de carros laterais para motocicletas Swallow. A companhia continuou a fabricar carros laterais até os eventos da Segunda Grande Guerra.

Em 1926 a companhia construiu o pequeno " Austin Seven" um carro popular desenhado pela "Spartan Desing. Neste momento a companhia trocou seu nome para Swallow Sidecar e Coachbuilding Co. e se mudou para uma fábrica maior. Lá eram fabricados corpos de carros para a Morris, FIAT, Wolseley , Swift, e Standard.

O primeiro carro da companhia foi o SS1, possuía um motor seis cilindros Standard e um chassis Standard modificado. Foi apresentado ao público em uma exposição em Londres em 1931. O menor, chamado de SS2, possuía um motor com 4 cilindros. Na aparência o SS1 era longo, baixo com um pequeno espaço interno, rodas largas e bagageiro com o pneu reserva na parte traseira. Tinha um visual de carro de luxo e excelente valor monetário.

Em 1933 o nome companhia mudou para SS Cars Ltda, com Lyons iniciando como diretor. Lyons comprara a sua participação em 1936.

Em 1934, Harry Weslake, lembrado como um dos melhores especialistas de motores entrou para a companhia. Seu novo cilindro com cabeça OHV era revolucionário. O nome Jaguar foi pela primeira vez usado em 1935 e a produção incluia limosines, conversíveis e carros esportes equipados com motores de 1,5 litros, 2,5 litros, 3,5 litros. Também em 1935, Willian Heynes entrou para a companhia como engenheiro chefe.

O veículo mais notável neste período foi o modelo SS100 com um motor de 3.5 litros, era o carro mais rápido e mais famoso da Jaguar no pré Segunda Guerra com velocidade de 100 mph e aceleração de 0 a 60 mph em 10,5 segundos, o motor possuía uma taxa de compressão de 17,5:1. Obteve sucesso nas corridas de Marne Grsnd Prix de Reims, a Villa Real Internacional, o Rally Alpino, o Rally de Monte Carlo e o RAC Rally o que tornou este como um dos Jaguares mais famosos.

Depois da Segunda Guerra Mundial, o nome da companhia mudou para Jaguar Cars Ltda. e a produção foi reduzida. Os primeiros carros já foram produzidos com a opção de volante do lado esquerdo.

Em 1946 com a intenção de atualizar os modelos, Lyon desenvolveu um novo carro esportivo o XK 120 que foi inspirado pelo modelo do BMW 328, equipado com um motor 6 cilindros X2 OHC com 3442 cilindradas. Em 1948 no Earls Court Motor Show, a Jaguar apresentou seu carro mais veloz, o XK120 Roadster com uma velocidade de 120 mph e uma estabilidade excelente, e um "rodar" macio. Em 1954 o XK140 incluía um volante ajustável, maiores bombas de gasolina, mais peças cromadas, grade especial e 190 hp. O XK 140 tinha também espaço para uma criança atrás do assento. Em 1957, o Jaguar XK 150 veio mais baixo devido a alterações no design do XK. Este excelente carro, no entanto, foi produzido até 1961.

Nos anos 50 a Jaguar alcançou um status de fabricante somente de carros de luxo e esportivos. A companhia também exportava grande parte de sua produção, o que representava uma preocupação pois uma recessão poderia esmagar o mercado de carros de luxo e veículos importados ou então outros países adotarem políticas restritivas para a importação de veículos. A Jaguar precisava se afirmar no mercado como um tanto dentro da Inglaterra mas que também tivesse boa aceitação no mercado externo, então foi produzido o Jaguar MK I que foi apresentado ao público no Motor Show em 1955. Este veiculo foi concebido para preencher esta lacuna de exportação e mercado interno e era um monobloco.

O Jaguar MK II foi um sucesso imediato com uma área de janelas muito maiores, acentos de couro eram de eram de série até 1967 quando o couro começou a ser opcional para abaixar os custos, bem como os faróis de neblina e a luz traseira também virou opcional nesta época. Outras variações com a intenção de preencher espaços no mercado foram produzidos entre o menor 3.8 S e o grande MK X.

Em 1960 a Daimler foi comprada pela Jaguar e em 1966 o cavaleiro Sir William Lyons se aposentou do cargo de diretor do grupo Jaguar, mas permaneceu como chefe executivo. Grice e England assumiram os cargos de diretores administrativos. Em 11 de julho de 1966, a Jaguar Cars Ltda e a British Motor Co Ltda anunciaram a sua união. Em 1968 com a união com Leyland se tornou a maior industria Inglesa de carros.

Em 1972 o cavaleiro Sir William Lyons se aposentou, 50 anos depois de ter fundado a Swallow Sidecar Company em seu vigésimo primeiro aniversário. Sua aposentadoria foi seguida de um período de modificações confusas dentro da Jaguar. Departamentos como de vendas, peças e serviços sumiram dentro do poder da BL.

O Jornal Ryder report, publicou um artigo em 1975, deixando claro que a Jaguar não continuaria mais como uma entidade. A Leyland Cars estava formada e fabricou o novíssimo Jaguar XJ-S que foi apresentado pela BL no Earls Courts Motor Show. Na época, o cargo de diretor da Jaguar estava livre e no inverno de 1979 foi nomeado Percy Plant para ocupá-lo. Planty eram conhecido por suas habilidades em administrar fábricas em dificuldades.

Em Abril de 1980 uma greve tomou contada da fábrica, e o senhor Micheal Edwarde deu um ultimato: "retornem ao trabalho ou perca o seu emprego". A Jaguar precisava de um estímulo mais do que nunca. Precisava de um presidente, cargo que foi ocupado então por Jonh Egan em abril de 1980. Vindo da indústria Massey-Fergunson, ele tinha 40 anos e era exatamente o sangue novo que a Jaguar tanto precisava. Havia um ar de otimismo e uma nova vida na Jaguar. Logo este otimismo foi refletido em uma produção memorável. Em 1985 ficou clara a estabilização da Jaguar e que as pessoas que trabalhavam na Jaguar nunca desistiam. Willian Lyons faleceu em 1985 deixando um grande legado.

Desde o início da sua produção em 1972 até a última unidade produzida em abril de 1997, o Jaguar XJ12 sem sombra de dúvida ocupa uma posição como um dos mais desejados e luxuosos carros da história. Equipado com um poderoso motor V12 conquistou corações e mentes, visto que seus concorrentes equipavam seus carros com motores V8. Infelizmente quando outros fabricantes como BMW, Rolls Royce e Mercedes-Benz entraram no mercado, a Jaguar abandonou seu melhor motor da história, em abril de 1997, sendo substituídos por um motor V8 Supercharger, deixando para traz todo o "finesse" e elegância desse tradicional V12. Talvez a maior evolução que o XJ12 alcançou, foi a série X300 (produzida entre 1994 e 1997). Depois foi determinado que o modelo V12 ganharia 48 válvulas como o Aston Martin DB7, ou sua produção seria descontinuada. Infelizmente, como alguns entusiastas dizem, os chefões que não entendiam nada da tradição e da elegância da Jaguar com seus grandes motores, não fizeram a modificação que transformaria o sedan de 315 hp em um bólido de 420 hp, e a produção do motor foi interronpida.

Jaguar Produção
SS Jaguar 100 1935 a 1940
Jaguar Mark IV 1945 a 1948
Jaguar Mark V 1948 a 1951
Jaguar XK 120 1948 a 1954
Jaguar VII/VIIM 1950 a 1957
Jaguar C-type 1951 a 1953
Jaguar XK140 1954 a 1957
Jaguar 150 1957 a 1961
Jaguar Mark II 1960 a 1969
Jaguar E-type (XKE) 1961 a 1971
Jaguar Mark X 1961 a 1965
Jaguar S-type / 420 1963 a 1970
Jaguar Mark X e 420G 1965 a 1970
Jaguar XJ 6 / XJ 12 1969 a 1973
Jaguar E-type Series III V12 1971 a 1975
Jaguar XJ 6 / XJ 12 Sereis II 1973 a 1979
Jaguar XJC 1975 a 1978

Máquinas e Motores

Página inicial