Motor On Line
Notícias-

Satti Racing ressalta evolução do MCR #71 no Gaúcho de Endurance
Reportagem: Niltão Amaral
Foto: Niltão Amaral

Um fim de semana extremamente positivo, com grande evolução do MCR #71, apesar de uma quebra. Este foi o saldo da equipe Satti Racing na 4ª etapa do Gaúcho de Endurance.

Um dos pontos altos do fim de semana foi o excelente tempo do MCR #71 na tomada classificatória, com Ian Ely levando o carro à 3ª colocação, com 1:01.791 (média 177,1 km/h), um décimo mais rápido que o recorde anterior do carro (ex-#99 dos Hoerlle), superando as expectativas da equipe.

Na largada, Daniel Claudino manteve-se bem colocado, perdendo apenas uma posição para o MRX #26 Opel Turbo dos Scheer, que fez uma largada notável e assumiu a ponta. O MCR #71, equipado com motor VW Turbo 8v, manteve-se durante um bom tempo à frente de grandes concorrentes com chassis e motores mais modernos, tais como 16v Turbo e até mesmo V10, sofrendo um pouco com o desgaste dos pneus na primeira janela, passando a adequar o ritmo na segunda janela para ter mais consistência, andando rápido, mas sem forçar. Durante a última hora de prova o carro teve quebra de câmbio e teve que abandonar, ficando, mesmo assim, no 5º lugar, com 107 voltas percorridas.

O piloto Ian Ely fala sobre o fim de semana: "Foi muito positivo! O resultado final, após nosso problema de câmbio, é quase irrelevante diante da nossa evolução e o excelente tempo que viramos na classificação. Tivemos marcos impressionantes nessa prova, estamos em uma curva crescente muito rápida, em condições de andar próximo dos líderes, apesar de estarmos aprendendo muita coisa sobre o carro que, apesar de ser um modelo e motor um pouco antigo frente à concorrência, ainda tem condições de competir.", declarou Ely.

Daniel Claudino também considerou bom o desempenho: "Foi um fim de semana muito legal, quando nos colocamos definitivamente entre os carros de ponta do Endurance. Largamos bem e andamos boa parte da primeira janela no bolo dos ponteiros, mas sofremos um pouco com o desgaste dos pneus. Pela primeira vez andei duas janelas seguidas, e achamos um ritmo de prova consistente poupando o carro, o que é muito importante. Estamos evoluindo e melhorando a confiabilidade do carro", disse Claudino.

O chefe de equipe Eduardo Sattinho concorda com o saldo positivo: "Se analisarmos apenas o resultado, gera uma certa frustração, mas olhando pra trás vemos que o carro vem evoluindo e sempre fica um clima de satisfação e entusiasmo na equipe, e temos certeza que o resultado final chegará".

O próximo desafio da Satti Racing será dia 28 de agosto, no Autódromo de Guaporé.

Notícias

Página inicial