Motor On Line
Notícias-

Rally: não vamos largar o osso afirmam os irmãos Varela no Sertões
Reportagem: João Alberto Otazú
Foto: Sanderson Pereira
Mastermídia
Gabriel Varela foi rebocado pelo irmão Rodrigo por 430 km. Bruno Varela teve dois pneus furados.

No Rally dos Sertões tudo pode mudar de um dia para o outro. Depois de liderar a categoria UTV após as duas primeiras etapas e 783 km percorridos, bastaram 190 km nesta terça-feira (06/9) para que Gabriel Varela (Can-Am / Blindarte) sofresse um revés que ao final da tarde jogou-o para a sexta posição na classe Pro. A principal prova do off-road brasileiro cumpriu 643,48 km entre Cavalcante e Posse, em Goiás.

"Hoje não foi um bom dia para nós, mas também podemos considerar como uma vitória pelo que fizemos. E serviu para ganharmos ainda mais confiança em nosso Can-Am Maverick, que é um verdadeiro touro, aguentando carregar o dobro de seu peso por 430 km, numa velocidade incrível", destacou Rodrigo Varela (Can-Am / Blindarte), que rebocou o seu irmão que teve problema. "Não vamos largar o osso. Vamos consertar e diminuir a diferença que é pequena pelo que temos pela frente até sábado", emendou Gabriel, que agora está a 30 minutos dos líderes Deninho Casarini / Luis Eckel (Can-Am Maverick XDS Turbo), e apenas 15 minutos dos vice-líderes Pedro Queirolo / Gui Trombini (Can-Am Maverick Turbo).

O caçula da ‘Família da Poeira’ se recuperou bem nesta terceira etapa, apesar das adversidades que também enfrentou. Bruno Varela (Polaris One / Motul) largou da 29ª posição entre os UTVs, para terminar a Especial de 376,41 km na quarta posição na classe Super Production. "Foi uma Especial dura e completa. Eu estava indo bem pra caramba, muito rápido, mas tive dois pneus furados que me atrasaram muito. Pelo menos o meu Polaris RZR terminou inteiro e só vamos revisar pra prosseguir amanhã", comentou.

O calvário de Gabriel Varela começou quando parou para abastecimento no Km 190, momento em que liderava a prova. Ele colocou gasolina num posto local, que presumivelmente era de péssima qualidade, pois poucos quilômetros adiante o motor começou a falhar até apagar e não ligar mais. "Vínhamos num ritmo excelente, mas o combustível de péssima qualidade avariou todo o sistema de alimentação. Tentamos arrumar e não foi possível. Como o irmão mais velho do piloto estava logo atrás, ele nos rebocou. Foram 186 km de sofrimento na Especial", contou o navegar Gabriel Morales.

"Em nome da Divino Fogão Rally Team sacrificamos o nosso desempenho e rebocamos o Gabriel, que está melhor na prova, em condições de ser campeão. Puxamos ele pelos 190 km restantes da Especial e depois mais os 244 km de deslocamento até a divisa com a Bahia. Fiquei impressionado como o Maverick é valente", completou o navegador João Arena.

Na quarta-feira (06/9) será realizada a quarta etapa, entre Posse (GO) e Luís Eduardo Magalhães, na Bahia, totalizando 560,15 km, sendo 361,94 de Especial cronometrada.

Os mais rápidos no terceiro dia na categoria Pro nos UTV foram:

1) Cristiano Batista / Robledo Nicoletti, PolarisRXP 1000, 5h16min14s;
2) Deninho Casarini / Luis Eckel, Can-Am Maverick XDS Turbo, 5h20min30s;
3) Pedro Queirolo / Gui Trombini, Can-Am Maverick Turbo, 5h24min05s;
4) Enrico Almeida / Alvaro Almeida, Can-Am Maverick 1000, 5h27min25s;
5) Vinícius Mota / Rafael Shimuk, Can-Am Maverick, 5h34min07s;
10) Rodrigo Varela / Mayckon Padilha, Can-Am Maverick XDS, 6h04min38s;
11) Gabriel Varela / Gabriel Morales, Can-Am Maverick XDS, 6h06min43s.

Classificação depois de três dias na categoria Pro nos UTV:

1) Deninho Casarini / Luis Eckel, Can-Am Maverick XDS Turbo, 13h16min59s;
2) Pedro Queirolo / Gui Trombini, Can-Am Maverick Turbo, a 15min16s;
3) Elson Cascão II / Elson Oliveira, Polaris RZR 1000, a 20min09s;
4) Carlos Ambrósio / Cadu Sachs, Polaris, a 23min24s;
5) Enrico Almeida / Alvaro Almeida, Can-Am Maverick 1000, a 25min15s;
6) Gabriel Varela / Gabriel Morales, Can-Am Maverick XDS, a 30min17s;
11) Rodrigo Varela  / Mayckon Padilha, Can-Am Maverick XDS, a 1h37min59s.

Os mais rápidos no terceiro dia na categoria Super Production nos UTV foram:

1) Bruno Sperancini / Breno Rezende, Can-Am Maverick, 5h26min01s;
2) Daniel Costa / Flávio Bisi, Polaris RZR XP, 5h39min49s;
3) Erley Ayala / Idali Bosse, Polaris RZR XP 1000, 05h40min24s;
4) Bruno Varela / João Arena, Polaris RZR, 5h41min46s;
5) Dalger Junqueira / Marcelo Sousa, Polaris RZR 1000, 5h54min08s.

Classificação depois de três dias na categoria Super Production nos UTV:

1) Bruno Sperancini / Breno Rezende, Can-Am Maverick, 13h04min07s;
2) Erley Ayala / Idali Bosse, Polaris RZR XP 1000, a 2h07min57s;
3) Rodrigo Faiad / Roberto da Silva, Polaris RZR 900, a 3h06min54s;
4) Osman Didi / Alexandre Branco, Can-Am Maverick, a 3h35min42s;
5) Dalger Junqueira / Marcelo Sousa, Polaris RZR 1000, a 3h36min01s;
7) Bruno Varela / João Arena, Polaris RZR, a 17h13min26s.

Notícias

Página inicial