Motor On Line
Notícias-

Kart: quebra de motor atrapalhou Gabriel Paturle na Copa Brasil
Reportagem: Flávio Quick / Fabíola Cadar
Foto: Flávio Quick
Quick Comunicação
Após o título no Open, piloto de Belo Horizonte foi traído pelo equipamento nas classificatórias.

Neste fim de semana foi encerrada a edição 18 da Copa Brasil de Kart. No Kartódromo Delci Damian, em Cascavel, no oeste paranaense, cerca de 200 pilotos participaram das disputas da principal competição do kartismo no segundo semestre do ano.

Competindo pela classe Graduado o piloto mineiro Gabriel Paturle (Micronic | Mini), de Belo Horizonte, chegou bastante animado à competição. Com suporte técnico do mecânico Anderson Silva e motores preparados pela DTR Racing, do Rio Grande do Sul, o piloto que foi um dos grandes destaques do Campeonato Brasileiro de Kart chegou animado pela busca de seu primeiro título nacional.

Diante de uma semana em que a grande incógnita da competição foi ditada pela instabilidade climática cada atividade do evento foi realizada com um tipo de pista diferente fazendo com que competidores e equipes saíssem, quase que em todos os momentos, às escuras. Usando de sua grande experiência das provas no Brasil e, também, nos Estados Unidos, Paturle buscou saídas diferentes e, diante dos principais concorrentes de sua classe no país, conseguiu se destacar.

Na sexta-feira, dia em que a programação do evento foi a mais intensa, foram realizadas na sequência a tomada de tempos e as duas corridas classificatórias. Paturle, com um kart que não rendia o esperado para a sessão, ficou com um tempo quatro décimos mais lento que o pole-position e, com isso, foi relegado a uma distante 13ª posição no grid de largada das classificatórias. Sem tempo para buscar uma solução ideal a equipe de preparadores ainda tentou algum tipo de mudança de regulagem no motor e carburador do kart #80, mas, sem sucesso. Como resultado uma incômoda 13ª posição na primeira classificatória e, um pouco melhor, o oitavo lugar na segunda.

"Um componente interno do meu motor tinha quebrado e, na correria de fazer a tomada e duas classificatórias nós não conseguimos detectar que o problema era esse. Partimos em busca de mudanças no chassis e alguma coisa de carburação, mas, infelizmente, a solução desta vez estava, efetivamente, na parte interna do motor", comentou o piloto.

No sábado a competição começou com o treino de aquecimento. Com o kart ajustado e pista seca Gabriel, finalmente, conseguiu impor um bom ritmo de voltas e foi o quinto mais veloz da pista, a menos de um décimo do primeiro lugar do treino.

Infelizmente, a sorte parecia estar brincando com o piloto mineiro e, voltou a chover na pista paranaense momentos antes de sua largada. Com um kart completamente ajustado para a pista seca a equipe de Gabriel pôde somente trocar os pneus e colocar o kart na pista, sem mexer em nenhum ajuste de chassis. Infelizmente o resultado foi bem abaixo do esperado e, ao final das 25 voltas, Paturle recebeu a bandeirada em uma distante 11ª posição.

"Não tem nem o que falar desta Copa Brasil. Infelizmente deu um monte de coisas erradas e que refletiram direto no resultado final. Na hora que eu tive um kart bom nas mãos eu consegui andar rápido e, pelo que mostrei no warm up do dia da final, eu poderia tranquilamente ter brigado por um lugar no pódio. Foi uma penas, mas, vamos de cabeça erguida para os próximos desafios", comentou o piloto de 16 anos.

Notícias

Página inicial