Motor On Line
Notícias-

Kart: quebra de motor tirou João Matos da oitava do Light
Reportagem: Flávio Quick / Fabíola Cadar
Foto: Flávio Quick
Quick Comunicação
Competição foi disputada no último sábado, na Aldeia da Serra.

Animado pela conquista do pódio na Copa Brasil de Kart no último sábado (22) o piloto mineiro João Matos (KGS Computers | Tecsul | Mikronix | Gift | Academia Turner Prime), da categoria Júnior Menor, disputou no Kartódromo Aldeia da Serra a oitava rodada dupla da Copa São Paulo Light de Kart. A competição, que recebe tradicionalmente pilotos de todas as regiões do Brasil, teve nesta classe o seu maior contingente, com 15 pilotos no grid.

Muito atento às orientações que vem recebendo e, acima de tudo, buscando colocar em prática cada uma de suas orientações o piloto de Belo Horizonte teve um bom desempenho desde os primeiros treinos livres e, na última sessão, já com os propulsores sorteados pela organização, estabeleceu a quinta melhor marca, com o tempo de 45s137.

Desta forma Matos seguiu animado para a tomada de tempos, porém, a similaridades dos motores sorteados trouxeram grande competitividade para a sessão tornando-se impossível arriscar um palpite das posições de largada antes do fim da classificação. João cravou sua melhor volta com o tempo de 45s129, porém, muito perto dos tempos estabelecidos pelos três primeiros colocados.

Na primeira prova João começou muito bem. Com foco e determinação ele conseguiu impor um forte ritmo e, volta a volta, foi ganhando posições. Na metade da prova ele já era o quinto colocado, mas, seu kart passou a perder um pouco de rendimento e, ao final das 16 voltas, recebeu a bandeirada no sétimo lugar.

Com pouco tempo para alterações antes da segunda corrida o time conferiu ajustes de chassis, carburação e pressão dos pneus e Matos já voltara a pista para a segunda bateria. Após uma boa largada na segunda prova o piloto ganhou uma posição, mas, logo em seguida, caiu para oitavo lugar e, com quatro voltas completadas, teve de abandonar com o motor quebrado.

"Infelizmente nosso esporte depende de um componente mecânico que hoje, me deixou na mão. Na verdade, na segunda metade da primeira corrida, o problema já era do motor. Conseguimos ver na telemetria. Mas, como o tempo entre as baterias era curto, o time cercou as outras partes do equipamento. Faz parte", resignou-se o piloto.

Notícias

Página inicial