Motor On Line
Notícias-

Kart: Shell Racing Ú destaque no Brasileiro e levanta do tÝtulo da Jr com Crepaldi
Reportagem: Luis Ferrari
Foto: Bruno Gorski
Gentil recebe a bandeirada em 1║ na Mirim, Baptista Ú abalroado enquanto liderava na Codasur, Gaetano di Mauro Ú vice e Dennis Dirani 4║ na Shifter.

A Shell Racing fez bonito na primeira semana do 53º Campeonato Brasileiro de Kart, que teve as finais disputadas neste sábado na Granja Viana. Em todas as categorias em que a marca esteve representada seus pilotos foram protagonistas, lutando pelo título ou por posições no pódio.

E até mesmo um competidor formado na Escola de Kart, projeto de fomento à modalidade desenvolvido pela Shell em 2017, saiu da pista com o título de campeão –reafirmando o compromisso da marca com o desenvolvimento do esporte a motor no Brasil.

O destaque da primeira semana foi Gabriel Crepaldi, pela categoria Júnior. Ele assumiu a liderança no início da final e abriu certa vantagem sobre o segundo colocado. Na metade da prova, foi colocado para fora da pista e acabou caindo para quinto lugar. O competidor de Birigui teve tranquilidade para superar os concorrentes volta após volta e estava embutido no adversário que o empurrara para fora do traçado na bandeirada final. Após a bandeirada porém, os comissários desportivos puniram o concorrente com 5s de acréscimo ao seu tempo de prova. Com isso, Crepaldi foi promovido de vice a campeão brasileiro.

Foi seu primeiro título no mais tradicional campeonato do País e também sua primeira conquista com o status de piloto Shell. Como prêmio, Gabriel ganhou um dia de teste no carro da Formula Academy Sudamericana.

O competidor retorna à pista na próxima semana, disputando a categoria Codasur Júnior, cujo campeão ganhará a participação no Campeonato Mundial, em setembro, na Suécia.

Caçula da Academia Shell Racing, Bernardo Gentil, 8, foi um dos destaques na categoria Mirim. Ele largou em quarto na final e foi hábil para se livrar do enrosco após a largada. Em questão de duas voltas, assumiu a dianteira com autoridade e abriu vantagem. Na parte final da prova porém, foi alcançado e ultrapassado por um concorrente. Ele deu o troco duas voltas depois, mas os karts fizeram contato, e o adversário rodou. Bernardo recebeu a bandeira quadriculada em primeiro. Mas os comissários desportivos acharam por bem aplicar punição pelo toque. O piloto recorreu da decisão e agora o desfecho vai para a Justiça Desportiva.

A categoria Codasur foi a coqueluche do campeonato. Foram apurados em qualificatórias ao longo do ano 36 competidores que conquistaram o direito de entrar no grid para acelerar com motores Iame de 175cc. Os karts ficaram tão velozes, que seus tempos de volta ao longo da semana se equiparavam aos dos Shifter, os rapidíssimos karts com marca, e a velocidade máxima superava 120 km/h.

Caçula do grid da Codasur, Felipe Baptista brilhou ao longo da semana. Ele superou sistematicamente adversários que já competiam de kart antes mesmo de seu nascimento, há 15 anos. Com os resultados acumulados nas eliminatórias e pré-final, Felipe fez jus à pole position na prova decisiva. Largou com autoridade e liderou.... por apenas duas curvas. O representante da Shell foi abalroado pelo segundo colocado e deixou ali o sonho de conquistar a vaga no Mundial com tudo bancado pela Confederação Brasileira de Automobilismo. Um desfecho amargo para uma apresentação impecável ao longo da semana. O consolo do piloto é que na segunda fase do Brasileiro ele retorna –e com chance de garantir mais dois títulos, nas classes Graduados e OK.

A final da Shifter encerrou a programação da primeira semana, com dois pilotos da Shell tendo a chance de chegar ao quinto título nacional. Favorito e vindo de duas conquistas consecutivas, Gaetano di Mauro largou em segundo no grid. O experiente Dennis Dirani partiu em quarto.

A prova foi muito disputada, com o top5 cravando voltas nos mesmos décimos de segundo. Mas a ordem de largada foi a ordem do pódio, com Gaetano terminando como vice-campeão e Dirani subindo ao pódio em quarto. Competidor regular da Shell na Porsche Carrera Cup 3.8, di Mauro vai disputar a classe Shifter no Mundial da Suécia em setembro como piloto de fábrica da equipe CRG.

O experiente piloto da Shell Racing teve ainda a alegria de ver seu pupilo campeão. Dennis era um dos instrutores da Escola de Kart, projeto de fomento à modalidade que em 2017 apresentou o kart a mais de cem jovens por meio de um projeto da Lei de Incentivo ao Esporte. Com a punição aplicada a Bernardo Gentil na Mirim, quem subiu no degrau mais alto do pódio foi Filipe Vriesman, competidor egresso da Escola de Kart.

O que eles disseram:

“Estou muito feliz com meu primeiro título brasileiro. Claro que queria ter subido no degrau mais alto do pódio, mas no kart acontecem revisões pelos comissários e o que vale mesmo é a conquista. Agradeço aos meus mecânicos e à Shell Racing pelo equipamento impecável e o suporte ao longo do ano. Em 2017 a Shell conquistou o título na categoria Júnior e sei o quanto era importante manter esse troféu na Academia”

Gabriel Crepaldi

“Lutei até o final e recebi a bandeirada em primeiro. Foi uma pena a punição depois, mas estou contente pelo meu primeiro Brasileiro de Kart com as cores da Shell”

Bernardo Gentil

“Mostramos muita velocidade a semana toda e isso é o mais importante. Queria muito esse título, mas outro piloto acabou acertando no meio do meu kart no começo da primeira volta, o que foi uma pena. Na semana que vem tenho dois títulos para ganhar e vou atrás deles”

Felipe Baptista

“Agradeço a todos pela torcida ao longo da semana. O Brasileiro de Kart é um grande campeonato e sempre é motivo de honra defender a Shell neste evento. O título não veio desta vez, mas é sempre positivo levar um troféu pra casa”

Gaetano di Mauro

“Fizemos um belo campeonato e estou orgulhoso do desempenho de toda equipe Shell. Fazia um ano que não corria de kart e fiquei especialmente feliz em ver o belo desempenho de alunos da Escola de Kart, um dos projetos mais legais de que participei nos últimos anos”

Dennis Dirani

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Notícias

Página inicial