Motor On Line
Notícias-

Stock Car: com 2º lugar em Goiânia Ricardo Zonta leva Shell de volta ao pódio
Reportagem: Luis Ferrari
Foto: José Mario Dias
Galid Osman termina as duas provas no top 10 em seu melhor fim de semana no ano, Gaetano di Mauro se recupera e pontua mesmo sem usar o push; Átila Abreu estreia sem dores, mas com problemas no carro.

A Shell voltou ao pódio na Stock Car com Ricardo Zonta, que terminou em segundo lugar na primeira corrida da rodada dupla de Goiânia. Já Galid Osman acabou as duas provas na oitava posição, enquanto Gaetano di Mauro foi 21º e pontuou depois em 13º, mesmo sem botão de ultrapassagem.

A rodada dupla deste domingo também marcou o retorno de Átila Abreu, recuperado da fissura na vértebra L2. O soracabano se sentiu bem no carro, sem dores, mas teve problemas no carro nas duas provas, terminando em 18º na corrida 1 e abandonando a segunda.

Na primeira corrida, Zonta pulou de terceiro para segundo, enquanto Átila subiu de 12º para décimo, Galid ficou encaixotado e caiu para 11º, e Gaetano subiu para 20º. Ainda na metade inicial da prova, conforme os botões de ultrapassagem foram usados, Abreu e Osman caíram para 11º e 12º, mas depois tiveram as posições invertidas.

Quando foi aberta a janela de pit stops, Zonta permaneceu mais duas voltas na pista e seguia em segundo quando parou. Com uma operação rápida da Shell V-Power, o paranaense saiu dos boxes colado no então líder. Galid e Átila estenderam ainda mais a janela antes da parada e voltaram em nono e 17º, respectivamente.

Depois do pit stop, Galid seguiu no ataque e passou Cacá Bueno para ficar em oitavo a sete minutos do fim. Já Zonta não conseguiu pressionar em busca da vitória, mas manteve sem problemas o segundo lugar para conseguir na pista mais um pódio em 2019. Átila finalizou em 18º, e Gaetano, após trocar os quatro pneus no fim, em 20º.

Com problemas elétircos e na bomba de gasolina, Átila largou dos boxes na segunda prova. Na frente, Galid passou em quarto ao fim da primeira volta, com Zonta em décimo, Gaetano em 21º e Átila em 26º. Na abertura da décima volta, Osman assumiu a terceira colocação ao passar Cacá Bueno, enquanto Ricardo subiu para oitavo.

Na rodada de pit stops, Galid entrou logo na abertura de box, e Zonta ficou mais tempo na pista. No entanto, o paranaense perdeu tempo nos boxes por causa de problemas na roda e caiu para 22º, enquanto Osman subiu para oitavo, onde ficou até o fim. Logo depois da janela de paradas, Átila abandonou, e Gaetano fechou em 13º.

Os pilotos da Shell voltam a competir no dia 9 de junho, na rodada dupla no circuito de Londrina, no Paraná.

O que eles disseram:

"Acredito que dava para ter saído como o maior pontuador, eu tinha vários pushes para a segunda corrida. Conseguimos arrumar o balanço do carro, que na primeira bateria estava muito difícil, não tinha a tração ideal, mas na segunda corrida melhorou bastante. Eu estava pressionando o Daniel Serra antes do pit stop, já estava me programando para ultrapassá-lo, mas quebrou o miolo da roda. Foi uma pena mas por sorte aconteceu a vibração uma volta antes do pit e consegui realizar a troca da roda, mas ela travou e perdi muito tempo, e isso nos tirou da pontuação da segunda corrida, eu chegaria entre os cinco primeiros"

Ricardo Zonta, piloto da Shell V-Power no carro #10

"Estou muito feliz, foi um fim de semana bem sólido, andamos bem durante os treinos e a corrida. Nas provas, sempre tive um ritmo rápido, mas a Stock Car é tão competitiva que você ser um ou dois décimos mais rápido do que o cara da frente, às vezes não consegue passar. Mas estou feliz, fizemos 26 pontos, ficamos entre os maiores pontuadores. Então, demos um bom start para fazer um bom campeonato a partir de agora."

Galid Osman, piloto da Shell Helix Ultra no carro #28

"Fizemos uma boa estratégia na primeira prova, e sabíamos que tínhamos um bom carro para a segunda corrida, com um ritmo forte. Cuidei um pouco na corrida 1 e depois vim forçando mais. Uma pena que eu não tinha os pushes, muitas vezes tive de passar arriscando, sem facilidade, e perdi tempo. Senão chegaríamos no top 10, mas foi um fim de semana de muito aprendizado, o próximo vai ser muito bom."

Gaetano di Mauro, piloto da Shell Helix Ultra no carro #11

"Eu fiquei muito feliz de voltar à Stock Car, me senti muito bem. Não senti dor alguma, voltei zerado, o que era o maior receio antes de voltar. Foi tudo perfeito nesse sentido. Mas fiquei frustrado com o fim de semana, não era o jeito que queríamos ter voltado. Houve muitos problemas que não foram resolvidos. Na classificação ainda saímos em 12º, mas na corrida o equilíbrio piorou e todos os problemas voltaram."

Átila Abreu, piloto da Shell V-Power no carro #51

Resultado da primeira corrida:

1º T.Camilo - 42m28s794
2º R.Zonta - a 1s915
3º D.Serra - a 4s407
4º R.Maurício - a 5s875
5º M.Gomes - 7s041
6º M.Wilson - a 7s981
7º R.Barrichello - a 13s755
8º G.Osman - a 14s491
9º C.Bueno - a 15s286
10º J.Campos - a 15s834

Resultado da segunda corrida:

1º R.Barrichello - 42m30s213
2º J.Campos - a 1s655
3º D.Serra - a 2s869
4º M.Wilson - a 6s949
5º G.Casagrande - a 7s585
6º R.Maurício - a 10s745
7º M.Gomes - a 13s067
8º G.Osman - a 13s365
9º F.Fraga - a 14s023
10º N.Piquet - a 15s407

Classificação do campeonato:

1º D.Serra - 102 pontos
2º R.Barrichello - 102
3º R.Maurício - 90
4º T.Camilo - 89
5º G.Casagrande - 67
6º F.Fraga - 62
7º M.Gomes - 61
8º J.Campos - 56
9º A.Khodair - 49
10º M.Wilson - 48
11º C.Bueno - 45
12º R.Zonta - 36
13º G.di Mauro - 36
14º D.Nunes - 35
15º G.Osman - 32

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Notícias

Página inicial