Motor On Line
Notícias-

F-3 Brasil: como ter mais destaque que o vencedor em uma corrida?
Reportagem: Pedro Cardoso
Foto: Marcus Cicarello
Largando em último e chegando em terceiro, fora o baile: essa foi a atuação de Pedro Cardoso na etapa da F3 Brasil em Cascavel.

Mesmo não tendo o mesmo foguete que os carros da equipe Cesário, que é a eterna força principal da F3 Brasil (eles têm nada menos que 14 títulos no campeonato) - Pedro Cardoso representou, deu um baile e, acima de tudo, a volta por cima num fim de semana difícil em Cascavel, obtendo mais destaque até que o vencedor da prova que encerrou a rodada deste fim de semana e atual líder do campeonato, Matheus Iorio.

Mas como assim, mais destaque que o vencedor?

É simples: largue em último, passe todos menos os dois primeiros na primeira volta e segure no braço uma posição no pódio contra um concorrente com um carro bem mais potente que passou o fim de semana inteiro te pentelhando e provocando problemas. No caso, estamos falando de Carlos Cunha e, se selecionarmos uma palavra para definir esse duelo durante o fim de semana todo, escolheríamos "epopéia".

"Não tenho como não sorrir depois dessa corrida. Os carros da Cesário estão cerca de sete décimos à nossa frente e mesmo assim consegui um bom terceiro lugar. Foi uma disputa dura, mas justa, o Cunha não tem o que reclamar. Afinal, tapete vermelho é só no Oscar, aqui na pista a vida nunca vai ser fácil", comenta Pedro, que sustentou a vice-liderança do campeonato com 40 pontos contra 75 de Iorio.

A epopeia começou na prova 1 durante a batalha pela sexta posição, quando Cunha tentou uma ultrapassagem impossível, que resultou em um toque, um acidente e a décima posição, enquanto Pedro chegou em sexto. Na segunda bateria, durante a disputa pelo sétimo lugar, Cardoso se defendeu mas foi acusado de bloquear Cunha e terminou desclassificado da corrida. Por fim, na terceira e última, Cunha tentou, tentou e, no fim, ficou só na tentativa.

A disputa capitalizou as atenções da prova. Com um carro melhor, em todas as voltas Cunha atacou Pedro na reta oposta e chegava até a passar, mas o atual campeão da F4 sul-americana deu uma aula de pilotagem defensiva e se posicionava de uma forma que Cunha não conseguia contornar a curva seguinte na frente. "Cheguei a ser excluído injustamente na segunda prova e me deram uma advertência na terceira, o que achei um pouco de exagero, pois eu não mudava de linha o tempo todo, apenas me posicionava do lado interno da pista e deixava o lado de fora para ele tentar. Mas o que importa, no fim, foi a satisfação por ter feito uma corridaça, salvado o fim de semana, mantido a liderança e ganhando um troféu", resume.

Agora a F3 Brasil tira um novo intervalo de quase dois meses até o próximo encontro, que acontece nos dias 10 e 11 de setembro em Interlagos.

Confira como está o campeonato após as seis primeiras corridas do ano:

1. Matheus Iorio, 75 pontos
2. Pedro Cardoso, 40
3. Guilherme Samaia, 38
4. Carlos Cunha, 29
5. Thiago Vivacqua, 29
6. Christian Hahn, 26

Notícias

Página inicial