Motor On Line
Notícias-

Meia Faoro e Andrei Tasca volta às pistas na 30ª Cascavel de Ouro
Reportagem: Grelak Comunicação
Foto: Cleocinei Zonta
Pilotos disputam duas etapas do Metropolitano de Marcas como preparação para reestreia definitiva na prova longa de 23 de outubro.

A 30ª edição da Cascavel de Ouro vai consolidar no dia 23 de outubro no Autódromo Zilmar Beux, em Cascavel (PR), o encerramento da temporada automobilística para dezenas de pilotos que dedicaram-se durante todo o ano à disputa de campeonatos regionais em todo o país e também de competições nacionais. Ao mesmo tempo, a corrida longa mais tradicional do Paraná será a consolidação do retorno de dois pilotos ao automobilismo.

Rogélio “Meia” Faoro e Andrei Tasca, ambos cascavelenses, decidiram retomar o contato direto com as competições para disputarem em dupla a 30ª Cascavel de Ouro. “Tanto ele quanto eu estávamos sem correr havia um bom tempo. Por isso, quando decidimos participar da prova e definimos a compra do carro, fizemos inscrição também nas duas últimas etapas do Metropolitano de Marcas & Pilotos. Isso ajuda a tirar a ferrugem”, brinca Tasca.

Tasca começou a correr no início da década passada por influência do irmão Evanir Maurício “Dinho” Tasca, que foi um dos primeiros participantes do Campeonato Metropolitano. “O Dinho montou o carro, eu me animei e montei o meu, aí chamamos mais alguns amigos para participar”, lembra. “Depois disso fiquei um tempo sem correr, com o carro parado em casa. Nove anos atrás fiz a minha última participação, em dupla com o ‘Meia’, e voltamos agora”.

Faoro aderiu ao automobilismo na década de 80, disputando corridas da categoria Hot-Dodge. Teve passagens ainda por campeonatos de Hot-Fusca, Speed Fusca, Fórmula A, Pick-up Racing e Marcas & Pilotos. Também esteve no grupo dos primeiros participantes da história do Metropolitano de Cascavel. “Sempre gostei de participar, de prestigiar, de acompanhar. Nos últimos anos vivi longe de Cascavel. Agora voltei para a cidade e para as corridas”, diz.

A expectativa da dupla da Rally Cascavel Motorsport é a de levar o carro ao fim das quatro horas de corrida. “Não importa o resultado, mas queremos muito concluir a prova. A equipe somos o Andrei, eu e o Júlio, meu irmão e parceiro de trabalho. Vamos contar também com auxílio de amigos de outras equipes, como o Cláudio Deitos, da Speed Car, o Muriel e o Juninho, da Stumpf Preparações”, conta Faoro. “Nossa equipe é uma grande mescla, né?”.

Meia Faoro e Andrei Tasca competirão na Cascavel de Ouro com apoio de Dr. Hoo, Hooligans, Esfiha Express, Chope Providência, Rei do Pão, Posto Texas, Ótica Curitiba, Galinas Madeiras, Continental Auto Center e Radiadores Fórmula 1. “Temos um apoio muito grande dos nossos companheiros do rali de Cascavel, que inclusive organizam festas para nos ajudar a levantar verba para a corrida. O nome da equipe é uma homenagem a eles”, segundo Faoro.

Premiação

A premiação em dinheiro prevê R$ 20 mil para a equipe vencedora da Cascavel de Ouro, R$ 7 mil para a vice-campeã e R$ 3 mil para a terceira. Haverá bônus de R$ 1 mil para a pole position, a volta mais rápida da corrida e o maior número de posições conquistadas nas quatro horas de corrida, que terão transmissão ao vivo pela CATVE, afiliada paranaense da TV Cultura. O portal da emissora na internet reproduzirá a transmissão em tempo real.

Haverá prêmios adicionais. Um piloto da dupla ou do trio que vencer a Cascavel de Ouro terá participação na primeira prova de 2017 do Fara USA, no mês de fevereiro em Homestead, com uma Ginetta G40, com custos de viagem incluídos na premiação. A equipe vencedora também terá isenção de todos os custos técnicos para participação de um de seus pilotos na primeira etapa da série brasileira Sprint Race Brasil na temporada de 2017.

Notícias

Página inicial