Motor On Line
Notícias-

Em Las Vegas Lucas di Grassi corre atrás do bom princípio de Ano Novo
Reportagem: Cleber Bernuci
P1 Media Relations
Na capital mundial das apostas, Fórmula E inova com corrida virtual entre pilotos da categoria e competidores profissionais de simuladores.

A Fórmula E inova mais uma vez ao dar o pontapé inicial de suas atividades em 2017 com uma corrida bastante diferente do que está acostumada a realizar nos grandes centros mundiais. Desta vez, a categoria dos carros elétricos organiza uma corrida virtual dentro do Hotel The Venetian, palco da CES 2017, a maior feira de eletrônicos e tecnologia do planeta, e que acontece em Las Vegas, nos Estados Unidos.

O Vegas eRace consiste em uma disputa de simulador entre os 20 pilotos da categoria mais dez gamers profissionais pré-selecionados - cada um representando uma equipe como seu terceiro piloto. O total em prêmios em distribuição é de 1 milhão de dólares - a maior premiação da história dos eGames.

"É difícil falar em diversão quando se tem um milhão de dólares em jogo, mas de qualquer forma, é bom começar o ano disputando uma bolada dessas", brinca Di Grassi, que forma o trio da ABT Schaeffler Audi Sport ao lado de seu companheiro de equipe Daniel Abt e do alemão Patrick Holzmann, de 22 anos, um dos gamers classificados para disputar a prova. "A ideia é curtir, mas os jogadores têm alguma vantagem porque para nós é bem diferente, sem nenhum dos desafios físicos que uma prova da categoria traz na pista. É mais difícil de prever do que um fim de semana normal de corrida", afirma.

Para Lucas, melhor piloto brasileiro em atividade de acordo com várias publicações especializadas e considerado o oitavo melhor piloto do mundo em 2016 pela conceituada revista inglesa Autosport, o retorno a Las Vegas traz lembranças de quando ele foi o responsável pela primeira exibição pública de um carro da Fórmula E, ainda antes da estreia oficial da categoria, em 2014.

"A primeira temporada ainda nem havia começado, e fizemos uma demonstração com o carro pelas ruas de Las Vegas. A recepção à ideia foi impressionante na ocasião, e agora estamos de volta, mais uma vez inovando, com uma corrida virtual", testemunhou.

Segundo o piloto da Audi, a corrida virtual é um novo marco. "É um bom exemplo de como a Fórmula E está, mais uma vez, à frente de várias outras disciplinas esportivas. É um evento completamente novo para nós. E seja no asfalto ou na tela do computador, o objetivo é o mesmo: vencer", diz.

O modelo da disputa segue exatamente os moldes da categoria, com treinos livres, classificação, super pole e uma corrida de 28 voltas. O vencedor leva 200 mil dólares; o segundo colocado, 100 mil; o terceiro fica com 50 mil dólares e até o trigésimo colocado os valores vão caindo até o mínimo de US$ 20 mil. O autor da pole position ganha 25 mil dólares e o autor da melhor volta da corrida fica com 10 mil.

"Definitivamente, neste caso, o que se faz em Vegas não fica em Vegas!", diverte-se. O Vegas eRace tem a largada às 22 horas deste sábado (7) com transmissão ao vivo pelo site twitch.tv e pelo site oficial da categoria, o fiaformulae.com.

Notícias

Página inicial