Motor On Line
Notícias-

F-1: confira como foi a despedida precoce de Rosberg
Reportagem: Gazeta do Povo

Nico Rosberg, 31 anos, surpreendeu o mundo do automobilismo. O campeão mundial de F-1 declarou que está deixando a categoria. O anúncio veio justamente 5 dias após garantir o campeonato de 2016. Motivo: falta de ambição.

O anúncio foi feito em uma entrevista coletiva da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e depois postada em sua página oficial no Facebook. Ele renovou em julho o contrato com a Mercedes até 2018. "Para mim, é um dia muito especial por receber o troféu nesta noite. Vai ser incrível, mas por outra razão: quero aproveitar a oportunidade para anunciar o encerramento da minha carreira na F-1. Desde quando comecei, aos 6 anos, tive esse sonho: se tornar campeão mundial, e isso estava claro em minha mente. Conquistei isso, dei tudo por isso, e com ajuda dos fãs consegui alcançar isso. Vou lembrar disso para sempre", declarou o agora, surpreendentemente aposentado Rosberg, às vésperas da festa de premiação da FIA (Federação Internacional de Automobilismo).

De acordo com o agora ex-piloto da Mercedes, a decisão foi pessoal, envolvendo principalmente motivos familiares, como o medo de sua mãe em vê-lo nas pistas. "Minha mãe ficou feliz porque nunca mais vai ter que sofrer. Ele nunca viu uma corrida minha, ficava com muito medo", contou Rosberg."Em 25 anos no automobilismo, foi meu sonho, meu único, me tornar campeão mundial de Fórmula 1. Através de trabalho duro, de dor, dos sacrifícios, este foi meu objetivo. E agora eu consegui. Eu subi minha montanha, estou no meu auge, então me sinto bem. Minha emoção mais forte agora é aprofundar a gratidão a todos que me apoiaram por fazer esse sonho acontecer. Esta temporada, eu digo a vocês, foi dura para caramba. Eu forcei como um louco em toda área depois das decepções nos últimos dois anos. Eles abasteceram minha motivação a níveis que eu nunca experimentei antes. E é claro que tive um impacto naqueles que eu amo também - foi um esforço familiar completo de sacrifício, colocando tudo atrás de nosso objetivo. Eu não posso encontrar palavras o suficiente para agradecer a minha esposa Vivian; ela tem sido incrível. Ela entendeu que esse era o ano, nossa oportunidade de fazer isso, e criar o espaço para eu me recuperar por completo entre cada corrida, olhando para nossa filha toda noite, lidando quando as coisas ficaram duras e colocando nosso campeonato como prioridade. Quando eu ganhei a corrida em Suzuka, do momento onde o destino do título estava em minhas próprias mãos, a grande pressão começou, e eu comecei a pensar sobre encerrar minha carreira no automobilismo se eu me tornasse campeão mundial. No domingo de manhã em Abu Dhabi, eu sabia que essa poderia ser minha última corrida, e esse sentimento clareou minha cabeça antes da largada. Eu queria aproveitar cada parte da experiência, sabendo que poderia ser a última vez... e então as luzes se apagaram, e eu tive as mais intensas 55 voltas de minha vida. Eu tomei a decisão na segunda-feira à noite. Depois de refletir por um dia, as primeiras pessoas com que falei foram Vivian e Georg (Noite, da equipe de empresários), seguido por Toto (Wolff, chefe da Mercedes). A única coisa que faz essa decisão de qualquer forma difícil para mim é porque eu coloquei minha família do automobilismo em uma situação difícil. Mas Toto entendeu. Ele sabia imediatamente que eu estava completamente convicto e me tranquilizou. Minha conquista mais orgulhosa no automobilismo será sempre ter ganhado o título mundial com essa incrível equipe de pessoas, as Flechas Prateadas. Agora, eu estou aqui só curtindo o momento. Haverá tempo para saborear nas próximas semanas, para refletir sobre a temporada e para aproveitar cada experiência que virá em meu caminho. Depois disso, eu vou virar a próxima curva em minha vida e ver o que tem na loja para mim..."

Notícias

Página inicial