Motor On Line
Notícias-

Stock Car: Shell Racing brilha e domina pódio na segunda bateria
Reportagem: Luis Ferrari / Rafael Valesi
Foto: José Mário Dias
Ricardo Zonta faz linda corrida de recuperação para vencer em Goiás. Átila Abreu fecha em segundo para conquistar dois top 5 no fim de semana.

Um fim de semana para guardar na memória. Logo na abertura da temporada 2017 da Stock Car, a equipe Shell Racing conseguiu uma dobradinha em grande estilo, no Autódromo Internacional de Goiânia (GO), na segunda bateria do dia. No alto do pódio, dois macacões vermelhos idênticos. Ricardo Zonta faturou a vitória na superação, após acidentar-se na primeira corrida deste domingo, ver seus mecânicos "fazerem uma cirurgia de emergência" para consertar as avarias e, ainda por cima, largar em 25º. Ao seu lado, em segundo lugar, Átila Abreu, que fechou a jornada com dois top 5 e em terceiro lugar na classificação geral.

"Parecia um paciente no pronto socorro, com um monte de médicos em volta para salvar a vida dele. Trocamos basicamente um canto inteiro de suspensão, fora a carenagem e o assoalho. Tudo isso em aproximadamente 15 minutos. Outros pilotos também conseguiram reparar o carro, mas não tiveram performance depois. Proporcionamos um carro bom para a segunda corrida, mas ficamos chateados pois na primeira prova o Zonta poderia ter pontuado", disse Thiago Meneghel, chefe da equipe Shell Racing.

Na primeira corrida, Átila Abreu largou na quinta posição, e Ricardo Zonta iniciou em nono. Logo na curva 1, Átila atacou e ultrapassou Galid Osman, subindo para a quarto. Em seguida, no miolo, uma grande confusão envolvendo seis pilotos acabou prejudicando a corrida de Zonta.

No incidente, que forçou a entrada do carro de segurança, o curitibano foi tocado e sofreu sérias avarias na suspensão traseira esquerda. Com isso, ele teve de levar o carro aos boxes para fazer extensos reparos, e só retornou para a pista nas voltas finais, para terminar em 25º. Os mecânicos tiveram que trabalhar duro para colocar o bólido em condições para a etapa seguinte.

Átila, que venceu em Goiânia em novembro do ano passado na Stock Car, travou uma disputa particular com Galid Osman em quase toda a corrida. E a briga foi resolvida só na última volta. Galid iniciou o giro final à frente, mas o sorocabano roubou a posição para cruzar a linha de chegada na quinta colocação.

Minutos depois, já era hora de entrar de novo na pista para a segunda bateria. Átila partiu da sexta posição, devido à regra do grid invertido para dez primeiros da prova inicial. Zonta, por conta do desempenho prejudicado na corrida de abertura, largou em 25º.

A primeira metade da prova foi produtiva para a dupla da Shell Racing. Em uma bela escalada, Átila subiu de sexto para quarto lugar já na primeira volta, deixando para trás Galid Osman e Cesar Ramos. No oitavo giro, o sorocabano subiu mais duas posições, ao ultrapassar Cacá Bueno e contar com uma escapada da pista de Tuka Rocha. E a liderança chegou na volta 14, quando o então líder Felipe Fraga errou em uma freada, rodou e saiu do traçado.

Zonta, por sua vez, acertou na estratégia adotada com a equipe Shell Racing e fez uma linda corrida de recuperação. Após três voltas, o curitibano já aparecia em 15º. No décimo giro, outros dois concorrentes ficaram para trás. E, na volta 21, Zonta estava lado a lado disputando a liderança com o próprio Átila Abreu, após os dois terem feito o reabastecimento obrigatório nos boxes.

Nos minutos finais, a dupla da Shell Racing deixou bem longe o famigerado "jogo de equipe" e deu um show de automobilismo. Utilizando o push to pass, Zonta assumiu a liderança na 21ª volta. No giro seguinte, também no final da reta principal de Goiânia, Átila deu o troco. E, na 23ª volta, Zonta voltou a retomar a primeira colocação, para não mais largar. Este foi o segundo triunfo de Zonta na Stock Car. O primeiro aconteceu na Corrida do Milhão de 2013, no circuito de Interlagos (SP).

Com os resultados deste domingo, Átila Abreu deixa Goiânia na terceira colocação na classificação geral, com 37 pontos. Ricardo Zonta, por sua vez, é o sétimo, com 20. E, no campeonato por equipes, a Shell Racing é a vice-líder, com 57 pontos.

A próxima rodada dupla será realizada no circuito do Velopark (RS), no dia 23 de abril.

O que eles disseram:

"Acabei me envolvendo na batida na primeira bateria, os carros rodaram na minha frente, e me acertaram por trás. Perdi muito tempo, mas economizamos pneu. Isso favoreceu para a segunda bateria. Trocamos tudo, fizemos o alinhamento do carro tudo de novo. Ao largar em 25º na segunda bateria eu não esperava tantas ultrapassagens, mas o carro estava fantástico. Foi uma das minhas melhores corridas em que eu consegui me desenvolver e guiar o carro. Eu senti que não estava sendo conduzido, mas sim estava conduzindo. Sobre a disputa com o Átila Abreu, uma hora travamos roda no fim da reta para um não ceder para o outro. Mas eu tinha pneus melhores, vários push to pass. O carro estava fantástico, eu tinha tudo para conseguir ganhar a corrida se eu voltasse bem dos boxes. E foi o que aconteceu"

Ricardo Zonta, piloto do carro #10

"Acho que a vitoria ficou em boas mãos. Queria eu ter vencido, mas o Zonta fez uma grande prova e mereceu. Foi um fim de semana muito bom, melhor do que eu poderia imaginar, o que me deixa contente. Fomos consistentes desde o primeiro treino, sempre no top 10. Em momento algum tivemos um carro para brigar pela vitória, isso ficou claro desde a primeira corrida, mas soubemos jogar o jogo. Somamos pontos, e quase consegui a vitória na segunda prova. O Ricardo teve a infelicidade na primeira corrida, e soube se aproveitar do regulamento. Isso permitiu a ele conseguir a vitória. Tentei brigar com ele, mas ele tinha mais push to pass, e eu estava com os pneus mais gastos. Então levei o carro para casa para conseguir essa dobradinha que era importante para a equipe. Agora é trabalhar para evoluir. Se continuarmos assim poderemos brigar pelo título, que é nosso objetivo"

Átila Abreu, piloto do carro #51

"Foi um final de semana excelente. Começamos consistentes nos treinos, mais rápidos com pneus usados. Sabíamos que na corrida teríamos um ritmo bom. Foi uma pena o que aconteceu com o Ricardo, mas a equipe trabalhou muito rápido, foi um orgulho ver o que fizeram. Trocaram a suspensão e várias peças, e deixamos o carro pronto para a segunda prova. Isso foi fundamental para a vitória dele. Tudo isso mostrou que a equipe está forte e vai brigar pelo campeonato."

Thiago Meneghel, chefe da equipe Shell Racing

Corrida 1 - Goiânia

1º. D. Serra
2º. T. Camilo
3º. M. Wilson
4º. R. Maurício
5º. Átila Abreu
6º. G. Osman
7º. C. Bueno
8º. F. Fraga
9º. C. Ramos
10º. T. Rocha
25º. Ricardo Zonta

Corrida 2 - Goiânia

1º. Ricardo Zonta
2º. Átila Abreu
3º. M.Wilson
4º. R. Barrichello
5º. D. Navarro
6º. D. Serra
7º. A. Khodair
8º. T. Camilo
9º. C. Bueno
10º. F. Fraga

Classificação geral - após 2 corridas

1º. D. Serra - 40 pontos
2º. M. Wilson - 39
3º. A. Abreu - 37
4º. T. Camilo - 33
5º. R. Maurício - 21
6º. C. Bueno - 21
7º. Ricardo Zonta - 20
8º. F. Fraga - 18
9º. G. Osman - 17
10º. R. Barrichello - 14

Classificação por equipes - após 2 corridas

1º. Eurofarma - 61 pontos
2º. Shell Racing - 57
3º. A. Mattheis - 50
4º. RCM Motorsport - 50
5º. Cimed Racing Team - 30

Sobre a plataforma da Raízen em motorsport:

A Raízen, por meio da marca Shell, promove a maior plataforma de patrocínio em esporte a motor no Brasil, a Academia de Pilotos Shell Racing. A marca apoia oito pilotos entre as modalidades do kart, Brasileiro de Turismo, Stock Car e Porsche Império GT3 Cup. O projeto está em linha com a estratégia global da marca, que, além do mais longevo patrocínio do automobilismo mundial com a Scuderia Ferrari na F1, está presente na Nascar, Indycar, V8 Australiana e Campeonato Mundial de Endurance.

Em 2017, os representantes brasileiros da Shell Racing já disputaram quinze corridas no Brasil, obtendo sete vitórias, quatro poles e levando a marca 11 vezes ao pódio.

Sobre a Raízen:

A Raízen se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 24 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,1 bilhões de litros de etanol por ano, 4,5 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 63 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25,2 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 5.900 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Notícias

Página inicial