Motor On Line
Notícias-

Kart: Academia Shell Racing fatura 3 pódios na segunda etapa da Copa SP Light
Reportagem: Luis Ferrari
Foto: Bruno Gorski
Richard Annunziata e Gabriel Crepaldi conquistaram três pódios na categoria Graduados. Já Lucas Staico e Aurélia Nobels enfrentaram problemas durante a etapa.

A Academia Shell Racing voltou às pistas neste sábado para a disputa da segunda rodada da Copa SP Light de kart, no kartódromo da Aldeia da Serra, em Barueri (SP). A disputa marcou os primeiros pódios de Richard Annunziata pela Academia.

Após treinar e não sentir dor na sexta-feira, Richard Annunziata sentiu-se confiante para competir. Vale lembrar que o piloto de 17 anos de idade havia sofrido uma lesão na clavícula no mês passado. Disputando a categoria Graduados, Richard largou e manteve a quarta posição no início da primeira bateria. Com bom desempenho, o piloto paulista já era o terceiro colocado na volta sete. Sempre próximo do segundo colocado, Richard fez grande manobra e assumiu o segundo posto na parte final da prova, garantido o seu primeiro pódio pela Academia Shell.

Com a inversão das cinco primeiras posições para a formação do grid da segunda corrida, Annunziata partiu novamente da quarta posição e manteve a posição por boa parte da prova. Na metade final da corrida, Richard partiu para cima do seu companheiro de Academia Shell e conseguiu a ultrapassagem, faturando o segundo pódio do dia.

Gabriel Crepaldi, que também disputa a classe Graduados, conquistou dois bons resultados. Na primeira prova o piloto paulista largou em quinto e caiu para o sétimo posto. Uma volta depois já aparecia na sexta posição, pressionando o quinto colocado. Na metade final da corrida, Crepaldi já era o quarto colocado e brigava curva após curva pelo terceiro lugar. A recompensa de tanta luta veio nas últimas voltas com uma bela ultrapassagem para assumir a terceira posição e terminar a prova no pódio.

Na disputa seguinte, Gabriel saiu em terceiro lugar e manteve a posição por oito voltas, sempre próximo aos líderes. Porém, na metade final da prova, o kart #137 perdeu rendimento e Crepaldi acabou sendo ultrapassado e terminando a corrida no quarto posto.

Na classe Júnior, Lucas Staico partiu da décima posição após ter um problema no motor do seu kart na qualificação. Com uma boa largada, Lucas já figurava na sétima posição na segunda volta da prova. No giro seguinte, após um toque do adversário caiu para o nono lugar se afastando do pelotão da frente. Com o kart #11 longe de suas condições ideais, o piloto mineiro terminou a prova em sétimo lugar.

Largando do sétimos posto na segunda corrida do dia, o piloto de 14 anos manteve a posição de largada por dois giros. Na terceira passagem, Lucas se aproveitou bem da confusão a sua frente e assumiu o quarto lugar. Percebendo que não conseguiria brigar pelo pódio, Staico fez uma corrida inteligente terminando no quarto lugar, somando pontos importantes para o campeonato.

Já Aurélia Nobels, que compete na categoria Júnior Menor, partiu da 18ª posição após ser atrapalhada na tomada de tempo para a primeira corrida do dia. Com uma grande largada, Aurélia abriu a segunda volta no sétimo posto. Na volta seguinte já era a sexta colocada, mas acabou sendo tocada por um concorrente e teve que abandonar a prova.

Na disputa seguinte, Aurélia largou na 22ª posição e mostrou habilidade para fugir da confusão da largada e assumir o 17º posto. Quatro giros mais tarde, a piloto de 12 anos era a 16ª colocada. Porém a batida da primeira corrida atrapalhou bastante o seu desempenho na segunda disputa, impedindo a piloto do kart #107 obter um bom ritmo. Mesmo assim, a primeira mulher da Academia Shell ganhou sete posições e fechou a prova na 15ª posição.

A terceira etapa também acontece no kartódromo Aldeia da Serra, no dia 6 de abril.

O que eles disseram:

“Estou muito feliz com o resultado. Meu kart estava muito rápido nas duas baterias e conseguir tirar tudo dele. Fico contente de ter conquistado meus primeiros pódios pela Academi Shell. Tenho certeza que foram os primeiros de muitos. Vamos com tudo.”

Richard Annunziata

“Não larguei bem na primeira corrida e perdi algumas posições, fiz uma prova de recuperação com um ritmo rápido e consegui terminar em terceiro, com alguns ajustes para fazer no kart. Na segunda prova larguei de terceiro e mantive essa posição por boa parte da corrida. Mas meu kart perdeu rendimento e acabei em quarto. Acho que falta um pouco de acerto no chassi. Não foi um fim de semana perfeito, mas não deixa de ter sido bom”.

Gabriel Crepaldi

“Tive um problema de motor e acabei largando em último na primeira bateria. Então, largando em último, acabei perdendo muito tempo com as ultrapassagens. Mesmo assim acabei terminando em sétimo. Na segunda fui melhor, larguei em sétimo e terminei em quarto. Achei um fim de semana positivo, pois tivemos uma boa recuperação após o problema de motor que tivemos durante a tomada de tempo. É isso aí”.

Lucas Staico

"Acabei sendo atrapalhada na tomada de tempo e por isso não fui bem. Larguei na 18ª posição e já na primeira volta passeis quatro pilotos. Estava muito rápida, na terceira volta já estava em quinto, mas um bateu em mim e acabou quebrando meu eixo. Na segunda prova larguei em último e não consegui passar os pilotos. Devido a batida, meu kart não estava como na primeira prova. Foi bem difícil, mas estou muito orgulhosa de mim”.

Aurélia Nobels

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Notícias

Página inicial