Motor On Line
Notícias-

Stock Car: com Zonta a Shell vence pelo 3º ano consecutivo corrida no Velo Città
Reportagem: Luis Ferrari
Foto: José Mario Dias
Marca é a única com vitórias nas três temporadas em que a categoria visitou Mogi Guaçu; estratégia perfeita e forte ritmo definiram vitória.

A Shell V-Power se tornou deste domingo a única equipe com três vitórias nos três anos em que a Stock Car visitou o Velo Città, graças ao triunfo de Ricardo Zonta na corrida 2. Primeira a fazer pole position pela categoria no autódromo, em 2017, a equipe é chefiada por Thiago Meneghel, que, curiosamente, é mais jovem do que o vencedor deste domingo.

Com o triunfo, Zonta está firme na briga pelos primeiros lugares do campeonato e está em sétimo, a apenas 13 pontos da liderança. O piloto da Shell foi o maior pontuador da rodada dupla, tendo somado 38 de seus 48 pontos só nas corridas deste domingo. Zonta ainda venceu o prêmio do Fan Push, um disparo extra do botão de ultrapassagem, assim como Gaetano di Mauro.

Gaetano, da Shell Helix Ultra, também pontuou com um 14º lugar na primeira corrida e um 11º na segunda. Substituto de Átila Abreu na etapa, Vitor Baptista abandonou a prova 1 e foi o 15º na 2, mesmo após ser ter sido atingido por um adversário. Já Galid Osman terminou em 17º lugar na primeira corrida e abandonou a segunda após ser acertado na largada.

Na primeira corrida, Zonta passou em sétimo lugar no fim da primeira volta, duas posições à frente de Gaetano, com Vitor e Galid respectivamente em 25º e 26º. Baptista, no entanto, teve de fazer uma passagem pelos boxes, e logo depois recolheu o carro para poupá-lo visando à corrida 2.

Ricardo Zonta estendeu ao máximo a janela de pit stop e liderava no momento em que entrou nos boxes. Quando todos pararam, o paranaense manteve o sétimo lugar, com Gaetano perdendo posições e caindo para 14º e Osman subindo para 18º. O paranaense seguiu na posição até a bandeirada, assim como Di Mauro, enquanto Galid fechou a prova em 17º.

Um acidente logo na largada da segunda corrida tirou Galid Osman da prova, enquanto Zonta manteve-se em quarto, e Gaetano di Mauro e Vitor Baptista sobreviveram ao caos e ficaram em 18º e 22º. Com ótimo rendimento, Zonta rapidamente ultrapassou Rubens Barrichello e subiu para terceiro. Ricardo entrou imediatamente nos boxes quando abriu-se a janela de pit stops.

A estratégia de colocar muito combustível e trocar mais pneus na corrida 1 revelou-se acertada para Zonta, que assumiu a liderança quando todos fizeram a parada. Com um excepcional ritmo, Zonta abriu sete segundos de vantagem para Rubens Barrichello e apenas administrou a diferença nas voltas finais para selar mais uma vitória da Shell no Velo Città.

A Stock Car volta a se reunir daqui a duas semanas na rodada dupla de Goiânia (GO).

O que eles disseram:

"A primeira corrida foi difícil, eu estava sofrendo muito com a aderência do carro, e a estratégia foi para a segunda mesmo. Pelo regulamento, a segunda corrida é ainda mais importante do que era no ano passado. O pit stop foi perfeito, a equipe trabalhou muito bem, a estratégia foi perfeita também, saímos com seis segundos á frente do segundo colocado. Estava muito calor, o combustível acabou esquentando, e o carro falhava um pouco, mas o carro ficou em ordem e vamos lutar pelo campeonato. Obrigado também a todos que votaram em mim para o Fan Push!"

Ricardo Zonta, piloto da Shell V-Power no carro #10

"Foi muito positivo, consegui pontuar nas duas corridas e entreguei o carro intacto. É claro que temos muito a evoluir e entender o que fazer durante a corrida, além de construir um carro para mim. Mas foi muito positivo pontuar duas vezes, agora é pensar no campeonato, em sempre estar ali, e quando tiver a oportunidade, ir para a frente e tentar ganhar uma corrida. Estou muito contente em ganhar o Fan Push, o apoio do pessoal dá um incentivo e agradeço muito a todos"

Gaetano di Mauro, piloto da Shell Helix Ultra no carro #11

"O top 10 era realidade na segunda corrida até o toque, mas estou muito feliz com o fim de semana. Queria agradecer ao pessoal da Academia da Shell e ao Átila por ter confiado o carro para eu guiar. A equipe está de parabéns, o Zonta ganhou a segunda corrida. Estou muito contente com o desempenho da equipe, tive uma boa adaptação. Claro, alguns erros, pelo fato de não conhecer o carro, e os tempos são muito próximos na Stock Car. Além disso, nas primeiras cinco voltas há muitos toques, agressividade. Tem de estar preparado, e mostrei no fim de semana que estamos no caminho certo com a Academia Shell, e queria parabenizar a todos"

Vitor Baptista, piloto da Shell V-Power no carro #120

"Foi uma pena, fiz uma ótima largada na corrida 2. Com o volante reto, tomei uma pancada na lateral. Essas largadas estão cada vez mais perigosas. Vou conversar com os comissários para tentar entender. Alguém tem de ser punido por isso, porque eu não me machuquei mas poderia ter sido um acidente bem grave. Uma pena, eu era o primeiro do que estavam na estratégia do pneu novo, estava com tanque cheio, tinha guardado todos os pushes, ia ser uma grande corrida. Vamos para a próxima.'

Galid Osman, piloto da Shell Helix Ultra no carro #28

"É uma forma que eu não gostaria, enquanto piloto, de ter experimentado porque você quer sempre andar. Mas as circunstâncias me colocaram nisso, então por que não fazer do limão uma limonada e tentar adquirir um maior aprendizado, uma nova experiência? Então ver de fora o trabalho da Shell nos boxes somou alguns pontos, observar de outro ponto, sem ter a adrenalina, sem a pressão de estar acelerando, serviu para entender um pouco mais como tudo funciona. Gostei bastante, tem muito a trabalhar junto à equipe para obter melhores resultados. Um belo trabalho da equipe, que continua com 100% de aproveitamento no Velo Città, com três vitórias em três anos, o Zonta sai como maior pontuador do fim de semana e cresce na tabela. Eu ainda continuo como um dos recordistas, então vou ter bastante motivação no ano que vem, é uma pista que eu gosto muito, infelizmente não andei desta vez. O Vitor foi muito bem, o ponto alto foi a adaptação ao carro, me impressionou a velocidade com a qual ele se adaptou e já estava andando no ritmo do carro. Não é fácil assim, são apenas dois treinos. Ele esperava um pouco mais da classificação, mas tomar meio segundo e ficar em 25º acho que ele nunca experimentou uma categoria tão competitiva, são os detalhes. A corrida é um pouco diferente na dinâmica, é mais longa do que na Light e na Porsche, que são mais curtas. Na Stock, os 30 pilotos são de grande nível, aqui você está em 20º e brigando com um piloto de Fórmula 1. Por estar tanto tempo na categoria, sei as características de cada piloto, como cada um joga, e passei para ele. Uma pena a corrida 1, nos restou criar uma estratégia para a corrida 2, mas teve um toque de um adversário, o que pode acontecer. Mas foi um bom aprendizado e fico feliz. Espero estar de volta em Goiânia, uma fora já está bom demais"

Átila Abreu, piloto do carro #51

Resultado da corrida 1:

1º T.Camilo - 42m59s189
2º R.Maurício - a 0s351
3º G.Casagrande - a 7s959
4º D.Serra - a 12s913
5º F.Fraga - a 15s051
6º M.Gomes - a 17s061
7º R.Zonta - a 20s148
8º R.Barrichello - a 25s007
9º D.Nunes - a 28s839
10º J.Campos - a 29s726

Resultado da corrida 2:

1º R.Zonta - 41m51s659
2º R.Barrichello - a 4s858
3º C.Bueno - a 16s615
4º G.Casagrande - a 23s640
5º A.Khodair - a 24s326
6º F.Fraga - a 24s902
7º F.Lapenna - a 26s229
8º C.Ramos - a 26s806
9º V.Brito - a 29s045
10º R.Maurício - a 35s168

Classificação do campeonato:

1º D.Serra - 61 pontos
2º R.Barrichello - 59
3º R.Maurício - 55
4º T.Camilo - 49
5º F.Fraga - 49
6º G.Casagrande - 48
7º R.Zonta - 48
8º A.Khodair - 31
9º M.Gomes - 30
10º C.Ramos - 26

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Notícias

Página inicial