Motor On Line
Notícias-

Stock Car: pilotos da Shell evoluem acerto dos carros
Reportagem: Luis Ferrari
Foto: José Mário Dias
Átila é o quarto mais rápido pela manhã, e Zonta fica em quinto à tarde antes de a pista ficar molhada; Gaetano é o oitavo, Galid lidera no molhado.

O primeiro dia de atividades da etapa de Cascavel da Stock Car foi marcado pela chuva. Numa sexta-feira com condições mistas, com pista seca pela manhã e chuva à tarde durante o segundo grupo, os pilotos evoluíram o máximo possível os acertos de seus carros nessas circunstâncias.

Apesar disso, os pilotos da Shell conseguiram um bom desempenho na pista seca: pela manhã, Átila Abreu foi o quarto mais rápido, enquanto Ricardo Zonta foi o quinto mais rápido à tarde em seu grupo, antes da chuva impedir o segundo grupo de evoluir.

Já Gaetano di Mauro, que pela primeira vez andou em Cascavel com um Stock Car, foi o oitavo colocado à tarde depois de ter sido o 21º pela manhã. Galid Osman só andou no seco no primeiro treino, e à tarde foi o melhor no grupo com chuva.

A previsão do tempo para o restante do fim de semana também é de chuvas ao longo do dia, o que pode tornar o treino de classificação, e, consequentemente, a definição das posições de largada, uma loteria.

A sessão será disputada a partir das 13h30 (de Brasília), com transmissão ao vivo do site Globoesporte.com. Domingo, às 11h e 12h02, os pilotos largam para as duas provas da rodada, com transmissão do SporTV2.

Todos os quatro pilotos da Shell estão aptos a participar da votação do Fan Push, na qual os seis mais lembrados pelos internautas serão contemplados com um disparo adicional do botão de ultrapassagem.

O que eles disseram:

"Perder um treino de 30 minutos faz muita diferença, tínhamos muitas coisas para testar. Tivemos de pular várias coisas para segundo treino, e na correria porque estava quase chovendo e tentamos aproveitar o treino para passar tudo que queríamos. Há carros na minha frente que passaram os quatro pneus zero. Pode ser que o meu tempo seja bom, mas temos de melhorar para a classificação, há coisas que ainda queremos testar no treino 3."

Ricardo Zonta, piloto da Shell V-Power no carro #10

"Evoluímos muito da última corrida para cá. O carro teve um comportamento muito mais competitivo. É óbvio que ainda falta um pouquinho, que é o ajuste fino. Estamos procurando isso, o primeiro treino serviu para tirarmos algumas informações que colocaríamos em prática no segundo treino, mas a chuva acabou atrapalhando. Foi bem na hora em que saíamos para a pista. Mas estou confiante num bom fim de semana, estou confiante, começamos com um melhor equilíbrio do carro, vamos ver se conseguimos manter e até evoluir."

Átila Abreu, piloto da Shell V-Power no carro #51

"Foi um dia atípico por causa da chuva. À tarde o meu grupo pegou a pista seca, mas quem pegou chuva pode ter vantagem porque a previsão é de chuva para o fim de semana, mas eu também tive a vantagem de acertar um pouco mais o caro para o pneu de seco. Agora vai depender do que vai acontecer daqui para a frente. Ainda falta um pouquinho, não estamos com o balanço ideal do carro, mas demos uma boa evoluída do começo do dia. Agora é terminar de buscar o acerto ideal para tentar brigar pela pole."

Gaetano di Mauro, piloto da Shell Helix Ultra no carro #11

"Com a pista seca infelizmente tive um problema no câmbio, praticamente não consegui andar, então vamos para o treino de amanhã no escuro no seco. Porém, conseguimos andar bastante na chuva, e fomos muito bem. O carro está bem equilibrado, e a previsão é de chuva para a classificação, então estou torcendo para chover!”

Galid Osman, piloto da Shell Helix Ultra no carro #28

Sobre a Raízen:

A Raízen, licenciada da marca Shell no Brasil, se destaca como uma das empresas de energia mais competitivas do mundo e uma das maiores em faturamento no Brasil, atuando em todas as etapas do processo: cultivo da cana, produção de açúcar, etanol e energia, comercialização, logística interna e de exportação, distribuição e varejo de combustíveis. A companhia conta com cerca de 30 mil funcionários, que trabalham todos os dias para gerar soluções sustentáveis que contribuam para o desenvolvimento do país, como a produção de bioeletricidade e etanol de segunda geração a partir dos coprodutos da cana-de-açúcar. Com 26 unidades produtoras, a Raízen produz cerca de 2,0 bilhões de litros de etanol por ano, 4,2 milhões de toneladas de açúcar e tem capacidade para gerar cerca de 940 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana-de-açúcar. A empresa também está presente em 66 bases de abastecimento em aeroportos, 67 terminais de distribuição de combustível e comercializa aproximadamente 25 bilhões de litros de combustíveis para os segmentos de transporte, indústria e varejo. Conta com uma rede formada por mais de 6.000 postos de serviço com a marca Shell, responsáveis pela comercialização de combustíveis e mais de 950 lojas de conveniência Shell Select. Além disso, a companhia mantém a Fundação Raízen, que busca estar próxima da comunidade, oferecendo qualificação profissional, educação e cidadania. Criada há mais de 14 anos, a Fundação Raízen possui seis núcleos no interior do estado de São Paulo e um em Goiás e já beneficiou mais de 13 mil alunos e mais de 4 milhões de pessoas com ações realizadas desde 2012.

Notícias

Página inicial